Queira o Sr. Perito comentar sobre o II Congresso Brasileiro de Computação Forense

MackenzieO II Congresso Brasileiro de Computação Forense, promovido pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, aconteceu nos últimos dias 13 e 14 de novembro de 2013. No evento palestraram grandes profissionais da área que trataram sobre assuntos relacionados à computação forense, electronic discovery, direito digital, entre outros.

Infelizmente eu só pude conferir as palestras realizadas no dia 14, portanto vou contar um pouquinho sobre como foi essa parte do evento.

A manhã de 14 de novembro tinha presenças de peso. A primeira palestra foi ministrado pelo grande mestre e parceiro José Milagre. Em sua palestra ele apresentou duas análises muito interessantes. A primeira foi sobre a nova lei de crimes eletrônicos, lei 12.737/2012 mais conhecida como Lei Carolina Dieckmann. A análise da lei proposta por Milagre foi incrível, pois ele não se limitou a indicar as diversas falhas já conhecidas da lei, mas tratou sobre os aspectos onde a lei pode ajudar a combater a criminalidade digital, ainda que de forma inicial. Após falar sobre os prós e contras da nova lei e dar a ela o seu devido valor, Milagre fez um comparativo dos principais tipos de ataques e como esses ataques seriam tipificados com base na lei 12.737/2012.

Link para a apresentação: Em breve

O segundo palestrante da manhã foi Everson Probst. Sim! Este que vos escreve. Fiquei muito contente com o convite, principalmente porque nos últimos anos tenho desempenhado um trabalho muito dedicado com a Universidade Mackenzie para transformação do cursos de pós-graduação em Computação Forense. Em minha palestra apresentei um estudo teórico onde traço um paralelo entre os conceitos de cadeia de custodia e a evidência digita. A análise proposta contou com informações sobre normas técnicas e conceitos bibliográficos sobre o tema. Por fim, com base na discussão, concluímos quais aspectos devem ser considerados em uma cadeia de custodia de evidências digitais para que ela tenha de fato a função de garantir a integridade da evidência.

Link para a apresentação: Cadeia de custódia e a evidência digital

Na sequência tivemos a palestra de Osvaldo Aranha Neto. O Osvaldo trouxe para os presentes um tema bastante moderno, o Electronic Discovery e os recursos de processamento de dados desenvolvidos e discutidos atualmente para automatização de processos. Em sua palestra, além de trazer conceitos básicos de e-discovery, Osvaldo nos enriqueceu com informações sobre redução de dados, técnicas para realização de filtragens de informações, categorização  de dados eletrônicos, além de técnicas que minimizam a interação humana no trabalho de revisão de dados com base na utilização de algoritmos que unem a capacidade de interpretação linguística com  e a capacidade de processar grande volumes de dados.

Link para a apresentação: Revisão de Dados Eletrônicos

Para finalizar a manhã, tivemos a participação de Victor Martinelli, profissional de computação forense e segurança da informação que se especializou no curso de pós graduação do Mackenzie. Em sua apresentação Martinelli fez um paralelo entre a computação forense e a segurança da informação e mostrou como a primeira pode contribuir para o melhor desenvolvimento da segunda. Com estudos de caso, Martinelli envolveu os presentes na análise pericial de um incidente e demonstrou como o conhecimento resultante desta análise suportou grandes melhorias em políticas de prevenção e controle.

Link para a apresentação: Em breve.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s